Notícias

Home » Notícias
02 Jan
Autor: Luiza Barros - oglobo.globo.com Categoria: Acontece Comandado por Otaviano Costa, 'Tá brincando' aposta na troca entre gerações

RIO - De um lado, um time de dezessete veteranos reconhecidos em diferentes áreas, do esporte à cultura. Do outro, jovens doidos para faturar até R$ 15 mil. Essa é a base de “Tá brincando”, novo programa de auditório da TV Globo, que estreia no próximo sábado depois do “Sai de baixo”. A apresentação fica por conta de Otaviano Costa, em seu primeiro voo solo na emissora (antes disso, ele passou pelo “Vídeo Show”). A direção geral é de Adriano Ricco e roteiro final, de Raquel Affonso.

 

— Nunca tinha participado do processo inteiro de criação de um programa. Desta vez, pude entrar mais profundamente nas engrenagens e vi que o resultado final ficou muito próximo do que tínhamos pensado no papel. O “Tá brincando” é muito leve. É um programa de auditório “raiz”. Não estamos inventando a roda, mas é uma roda muito bonita— comemora Otaviano.

Chamados de “super time” pela equipe do programa, os veteranos que deverão ser desafiados pelos competidores mais jovens são 17 no total. Entre eles, estão o cantor Sidney Magal, de 68 anos, o colunista do GLOBO Artur Xexéo, de 67, a ex-jogadora de basquete Hortência, de 59, o ex-jogador Edinho, de 63, e o jornalista esportivo Reginaldo Leme, de 74. As disputas variam de acordo com a expertise de cada um, podendo variar entre provas físicas e testes de conhecimento.

 

— Queríamos pessoas mais velhas que, famosas ou não, tivessem relevância. Nessa primeira temporada, nosso desafio foi segurar a onda diante de tantos talentos que encontramos.

A fórmula de competição entre um jovem desafiante e um especialista reconhecido em sua área há anos surgiu com o programa britânico “Amazing greys”, transmitido em 2014 pelo ITV. Porém, ao “tropicalizar” a proposta, a equipe do “Tá brincando” decidiu acrescentar novos quadros à atração, inclusive com gravações externas.

 

Convite à reflexão

No quadro “Os impressionantes”, por exemplo, Otaviano acompanha idosos que levam uma vida aparentemente pacata para depois revelar quais atividades surpreendentes eles praticam. O resultado é um equilíbrio entre momentos de adrenalina e de emoção, dentro e fora do palco.

— É um programa de entretenimento, mas não tenho dúvida de que vai causar reflexão, tanto para o idoso, quanto para os jovens. O Brasil não é um país fácil para a terceira idade. E mesmo com a infraestrutura, transportes e serviços públicos pouco convidativos, vemos que eles encaram o desafio de ir para a rua fazer uma atividade.

 

O apresentador também espera que “Tá brincando” possa ser um momento de descontração para famílias que encararam um 2018 cheio de tensões dentro e fora de casa.

— O Brasil passou neste ano por um momento de polarização, que foi importante para a nossa democracia. Agora é o momento de sentar no sofá e dar um pouquinho de risada — defende.

 

Voltar à página inicial